quinta-feira, 9 de Julho de 2009

O Telemóvel

EFA – NS /2008-2009
Sociedade, Tecnologia, Ciência
Núcleo Gerador: TIC
Domínio de Referência: 1
Nome-nuno ricardo pereira rodrigues 04 /06/2009

Trabalho realizado na área de STC (Sociedade, Tecnologia e Ciência), Núcleo Gerador TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação);

Tema: O Telemóvel

Com este trabalho pretende-se adquirir um maior conhecimento na forma de funcionamento do telemóvel nos diferentes aspectos: técnico, social e científico.
Visto que o Telemóvel é um equipamento de comunicação que nos dias de hoje é bastante importante na nossa sociedade, faz todo o sentido abordar este tema tão actual, nesta Área de Competência.
A elaboração deste trabalho vai permitir reunir uma maior informação de modo a perceber melhor como funciona e uma melhor utilização, bem como a importância do telemóvel na sociedade, com todos os aspectos positivos e negativos e o seu enquadramento nos diferentes níveis sociais e económicos.

Ao longo do trabalho serão abordados os seguintes conteúdos:

-Definição de Telemóvel;
-Tecnologias de difusão das ondas electromagnéticas;
-O uso do Telemóvel em Portugal;
-Usos sociais;
-Uso do Telemóvel como objecto simbólico de status social;
-Consequências do uso do Telemóvel;
-Perigos no uso do Telemóvel;
-Perigos para a Saúde no uso do Telemóvel.

O Telemóvel
Telefone celular (termo Brasileiro) ou Telemóvel (termo Português) é um aparelho de comunicação por ondas electromagnéticas que permite a transmissão bidireccional de voz e dados utilizáveis numa área geográfica que se encontra dividida em células, cada uma delas servida por um transmissor/receptor. A invenção do telemóvel ocorreu em 1947 pelo laboratório Bell nos EUA.


- Exemplo de um telefone celular / Telemóvel

Câmara Fotográfica

Ecrã Altifalante Antena
Teclado
Bateria






Tecnologias de Difusão de Ondas.
Há diferentes tecnologias para a difusão das ondas electromagnéticas nos telefones móveis, pudemos classificar os diferentes sistemas de telefonia móvel em gerações: a primeira geração (1G), analógica que foi desenvolvida no início dos anos 80, com os sistemas NMT e AMPS; segunda geração (2G), digital desenvolvida no final dos anos 80 e início dos anos 90 com os sistemas GSM, CDMA e TDMA; segunda geração e meia (2,5G), que foi uma evolução à 2G, com melhorias significativas em capacidade de transmissão de dados e na adopção da tecnologia de pacotes e não mais comutação de circuitos, GPRS, EDGE, HSCSD, EVDO e 1xRTT; a terceira geração (3G) que também é digital mas com mais recursos, desenvolvida desde o final dos anos 90 com a UMTS; pudemos falar também na terceira geração e meia (3,5G), como HSDPA, HSPA e HSUPA; estando já em desenvolvimento uma quarta geração (4G).




Ondas Electromagnéticas
As ondas electromagnéticas são uma combinação de um campo eléctrico e de um campo magnético que se propagam simultaneamente através do espaço transportando energia. A luz visível cobre apenas uma pequena parte do espectro de radiação electromagnética possível. O conceito de ondas electromagnéticas foi postulado por James Clerk Maxwell e confirmado experimentalmente por Heinrich Hertz. Uma das suas principais aplicações é a rádio transmissão.





O uso do Telemóvel Em Portugal
Em Portugal o telemóvel apareceu nos finais dos anos 80 pela mão dos CTT / TLP que era o único operador de telecomunicações, que era assente na tecnologia analógica AMPS e atribuíram o nome de “serviço telemóvel”, ganhando depois popularidade quando a segunda geração apareceu em Portugal em 1992, porque os CTT /TLP automatizaram os serviços de telefonia móvel criando a TMN (Telecomunicações Móveis nacionais S.A.). Desde então Portugal foi crescendo na percentagem de utilização de telemóveis, verificando-se nos dias de hoje uma taxa de penetração de telemóveis que já ultrapassou os 100%, ou seja existem mais equipamentos que habitantes Portugueses.
O telemóvel quando foi lançado era usado somente para falar, hoje é também usado para enviar SMS, tirar fotos, filmar, despertar, gravar lembranças, jogar, ouvir música, GPS, videoconferência, etc.
Os celulares/telemóveis agregaram, com o decorrer do tempo, muitos recursos, tais como câmara, rádio FM e leitor MP3.Alguns telefones, inclusivamente, têm um computador de mão Palm ou PocketPC integrado, são os chamados smartphones.
Com as novas tecnologias de terceira geração (3G), que oferecem dados em alta velocidade, é possível realizar chamadas de vídeo-conferência em tempo real, com a ajuda de novos equipamentos com câmara frontal, próxima do visor. A maioria dos novos modelos possui alguma forma de conexão com outros telefones, IrDa (infravermelho) ou Bluetooth. Essas tecnologias servem, principalmente, para envio de dados entre telefones.
Nos dias de hoje o telemóvel já não é mais um simples telefone de bolso. Câmaras que possuem 12.1 Mpx já foram lançados na Europa, no Brasil encontramos de até 8.1Mpx, resoluções maiores que muitas câmaras digitais. A internet já pode ser acedida via Hi-fi e banda larga 3G e 4G no Japão. Jogos com gráficos que se comparam ao videograma PSP com qualidade 3D. Telas que, em 2003, tinham 4 mil cores, agora possuem mais de 16 milhões. As polegadas também cresceram. Hoje os telemóveis têm telas com até 4 polegadas sensíveis ao toque. Em poucos anos o telemóvel será a nossa “Central de Entretenimento”.




Usos sociais:
O uso do telemóvel nas suas funções e nas suas capacidades várias conforme a idade, nível social, profissão ou formação, assim podemos constatar que nas gerações mais novas o uso do telemóvel é direccionado mais para o envio de SMS, jogos, ouvir música, enquanto nas gerações mais velhas o telemóvel é mais usado falar e gravar lembranças. Também dentro da mesma geração existem diferentes usos do telemóvel, de acordo com a profissão, formação ou até mesmo a nível sócio económico. Dois indivíduos com a mesma idade mas com empregos diferentes têm um uso diferenciado do telemóvel, visto que há empregos que o uso do telemóvel é indispensável, enquanto noutros não é necessário ou até mesmo proibido o uso do telemóvel, tal como acontece com o emprego também a formação e educação faz com que as pessoas tenham um uso do telemóvel diferente, umas das outras.




O uso do telemóvel como objecto simbólico de status social.
Hoje em dia o telemóvel é visto não só como um objecto de comunicação, mas também como um objecto de imagem ou de representação de pertença a um determinado status-social, ou seja, por norma os telemóveis além de terem a função de comunicação são um objecto de imagem, visto que alguns têm cores e formatos próprios para proporcionar às pessoas uma imagem pessoal. Algumas utilizam o telemóvel como acessório de imagem, tendo por vezes vários telemóveis e capas dos mesmos de várias cores de forma a condizerem com a roupa ou a ocasião do momento.
As marcas mais sofisticadas e modelos mais avançados ou modelos topo da gama estão na posse dos grupos sociais de maiores posses económicas, porque esses telemóveis são os mais caros. Há que referir também que essas mesmas classes sociais mais elevadas fazem questão de possuir esses modelos mais caros (mesmo que não façam uso de todas as capacidades dos equipamentos) para mostrar perante a sociedade o seu poder económico e grupo social a que pertencem.




Consequências do uso do telemóvel nas relações e práticas sociais.
As pessoas hoje em dia estão cada vez mais dependentes do telemóvel, algumas chegam a não conseguir sair de casa sem ele, por se sentirem inseguras ou até desprotegidas. O telemóvel tornou-se um objecto indispensável nas nossas vidas, estando presente em todo o lado e em qualquer ocasião.
Nesta perspectiva, no futuro seremos “escravos”dos telemóveis, isto porque, são utilizados para ter conversas através deles e não pessoalmente, onde somos capazes de dizer coisas e falar de certos assuntos que pessoalmente não o conseguiríamos, assim, mais tarde serão estas pessoas capazes de ter conversas importantes, falar de assuntos pessoais, resolver problemas, sem a ajuda do telemóvel e de uma forma pessoal?
Esta é uma pergunta que hoje em dia se coloca às novas gerações devido ao facto de estarem cada vez mais dependentes dele, onde o telemóvel faz parte da sua vida pessoal, não só como objecto para comunicar mas como objecto para expressar sentimentos, tomar atitudes, resolver problemas pessoais, servindo também para guardar problemas pessoais e medos que os atormentam e que ao invés de os resolver com os pais, familiares ou amigos, se refugiam usando o telemóvel para esconder ou disfarçar esses problemas.




Perigos no uso do telemóvel
Claro que o uso do telemóvel traz consigo diversos problemas e consequências. Um dos perigos no seu uso é a clonagem, que acontece quando um criminoso usa uma linha de um cliente de alguma operadora para fazer ou receber ligações. Além de perder a sua privacidade, o usuário recebe uma conta telefónica bem mais alta do que o devido, devido ao uso clonado do seu número em algum outro aparelho, como também passa a receber ligações de pessoas estranhas.
Há também que realçar que o telemóvel constitui uma grande ajuda à polícia para o desmantelamento de redes e grupos organizados, bem como detectar outros crimes, de vários âmbitos, através da colocação dos telemóveis sob escuta, sendo um dos meios mais importantes no combate ao crime.







Perigos para a Saúde no uso do Telemóvel
Actualmente não há nenhum estudo que apresente provas concretas que indiquem que os telemóveis acarretam riscos para a saúde. No entanto, muitos especialistas e entidades de saúde oficiais têm recomendado a utilização limitada destes dispositivos assim como ao recurso do sistema de mãos-livres.





O telemóvel vai estar para sempre presente nas nossas vidas porque se tornou demasiado importante e indispensável para as pessoas, mesmo sabendo dos seus problemas, perigos e consequências futuras na sua utilização, e irá cada vez mais ser utilizado por todos. Uma dependência que nos vai ser prejudicial no futuro, porque se não houver regras sociais quanto à sua utilização vamos começar a dar mais importância ao telemóvel do que as próprias pessoas.
É preciso educar as gerações mais novas quanto à sua utilização, ou seja, é necessário que as pessoas se consciencializem de que será fundamental criar um conjunto de regras e normas quanto á utilização e desenvolvimento do próprio telemóvel, para que no futuro os nossos filhos não venham a sofrer as consequências de uma utilização e um desenvolvimento desmedido do telemóvel, que é provocado peles empresas que os comercializam apenas com o objectivo de obterem cada vez mais lucros, não se preocupando com os problemas e consequências sociais que isso acarreta.
Como será a sociedade daqui a 20 anos na sua dependência e envolvimento em relação ao telemóvel?

Sem comentários:

Enviar um comentário